top of page

Revisão de portfólio

Objetivo de orientar da importância periódica de rever as classes e produtos na carteira

  • 1
  • Microsoft Teams

Descrição do serviço

A revisão periódica da carteira de investimentos é fundamental para garantir que ela esteja alinhada aos objetivos financeiros do investidor e às condições do mercado financeiro. Existem diversas razões pelas quais é importante revisar regularmente a carteira de investimentos, como: 1- Mudanças nos objetivos financeiros: os objetivos financeiros podem mudar com o tempo, e a carteira de investimentos deve ser ajustada para refletir essas mudanças. Por exemplo, se o investidor estiver se aproximando da aposentadoria, ele pode querer ajustar sua carteira para torná-la mais conservadora e reduzir o risco de perda de capital. 2- Mudanças nas condições do mercado: as condições do mercado podem mudar rapidamente, e é importante ajustar a carteira de investimentos para aproveitar oportunidades ou minimizar riscos. Por exemplo, se houver uma mudança significativa nas taxas de juros, o investidor pode querer ajustar a alocação de sua carteira de títulos. 3- Mudanças na performance dos ativos: a performance dos ativos em uma carteira de investimentos pode variar ao longo do tempo, e alguns ativos podem superar ou subperformar em relação aos outros. A revisão da carteira permite que o investidor identifique quais ativos estão apresentando melhor performance e quais precisam ser ajustados ou eliminados da carteira. 4- Mudanças nos custos: os custos associados à carteira de investimentos podem mudar ao longo do tempo, como taxas de corretagem, taxas de administração ou impostos. A revisão da carteira permite que o investidor avalie se esses custos estão afetando a rentabilidade da carteira e se há oportunidades para reduzi-los. Em resumo, a revisão periódica da carteira de investimentos é essencial para garantir que a carteira esteja alinhada aos objetivos financeiros do investidor e às condições do mercado financeiro. Recomenda-se que a revisão seja feita a cada seis meses a um ano, dependendo do perfil de risco e das metas do investidor.


bottom of page